segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Ideal da beleza.



O conceito da beleza foi construído pelos gregos em sua arte, principalmente a escultura. Nenhum outro povo em toda antiguidade conseguiu reunir tamanho número de obras onde a beleza era uma constante. Nos poemas homéricos, este conceito vincula-se ao resplandescente, ao brilhante e a beleza elevada ao máximo. A escultura é a ligação física dessa beleza homérica. Ela representa a ideia e o pensamento dos gregos em relação à uma grandeza transcedental e espiritual. Tudo na arte grega, se liga às manifestações do mundo ao seu redor. O conceito da beleza está envolvido em mistério, tanto quanto a luz, as cores, as dimensões das coisas, as proporções exatas e as qualidades táteis das obras. A beleza é tão divina quanto os próprios deuses, por isso é representada em muitos deles sob diversas formas.




Admirável, quanto o nascimento de Afrodite da espuma do mar. Tão atraente como Aurora que é perseguida pelo Dia, tal como Apolo persegue Dafne. Forte como Zeus lançando seus raios, delicada como Artemis quando anda pelas planícies sob o luar.




Se o mito resulta do esforço humano, ao ponto de criar os deuses, a beleza para os gregos é a mítica síntese da harmonia, da medida e da ordem da natureza. Para esses homens seria impossível criar harmonia limitando o belo. A beleza e a ordem caminhavam juntas, uma não poderia existir sem a outra. Não bastou criar a Democracia, era preciso que o conceito da beleza estivesse presente em cada gesto, cada selo, cada moeda até mesmo um simples pergaminho.




A antítese existia para os gregos. Era representada nas Gréias. Criaturas horrendas que nasciam velhas. Até hoje não se sabe qual era a função desses seres. Talvez servissem como uma lembrança, ou um aviso, de que a beleza é o ideal, porém a fealdade existe e deve ser contemplada.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Simpósio Nacional de Esculturas

Busco parceria de ESCULTORES BRASILEIROS preferencialmente em "pedra" para realização de simpósio nacional de esculturas independente em Porto Alegre ou grande Porto Alegre...

domingo, 21 de abril de 2013

Apresento minha primeira escultura cuja data não tenho a menor lembrança. Ela chega ao século 21 acompanhada de uma dissertação crítica simplificada para melhor compreensão de seu significado!

" Apesar da circuspiticularidade dos heliométrificos obsertranticulares, podemos esperar que ondulatifélicamente o artista extrapomeficou as adipoxicatles do hemisferiópido ondular. Essa ação praticamente imbiturazilou as neustrâmites restulantes, estamos falando das restulantes extrimefênicas é lógico. Como todo umperiutus (latim), ele reutilizou a difaminetude dos paxiometrículos, diria mais, usou e abusou do fremitangulamento periofímico, coisa que absolutamente esmontrilou total domínio, adiposamente falnaríado é claro!! Bundamentetrima, expretículo que pindaípole remete-nos ao extrumífio longlíneo torcicoando todas as espretomatides defloradas pelo rigorismo atravistônito. Resumir egurimico que essa obra esgula é uma giturana estupidímica do panorama escalofobético emuriundo e restracaviado.

Sejamos claros e objetivos, empolixitudes à parte, embreginharemos todos os firugulímetros ontarípicos para demonstrar a irreporidixiplicidade e anturiametricafisica espúria de um grupostículo tesmilográfico contemporâneo.

Nada mais teria a dizer sobre essa obra que agora está onde sempre esteve, seja; Nas egrucidamepoliempas friducélicas da casa de sua irmã Marilda Kersting"....



quarta-feira, 3 de outubro de 2012



                                "Sob a Luz de Itapuã" - Encontro Internacional de Escultores.
                                                       De 21 a 28 de outubro de 2012

Sob a Luz de Itapuã - Encontro Internacional de Escultores

O encontro internacional de escultores "Sob a Luz de Itapuã" é um evento inédito em Porto Alegre e Região metropolitana. Trata-se de uma oportunidade maravilhosa de conhecermos artistas internacionais altamente qualificados e seu processo de elaboração das obras. Serão oito escultores produzindo peças em mármore branco do Espírito Santo e granito cinzento de Camboriú. O conceito é livre e contemporâneo, com objetivo de criarem obras de médio formato especialmente para galerias de arte e colecionadores.

sábado, 3 de dezembro de 2011

A arte por um fio

Mármore e fios de cobre...!

A Arte é resultado de um renascer constante. Há uma ideia vã de que ela depende do ser humano... Isso é no mínimo um ledo engano, a Arte já existia antes da vida humana proliferar o planeta Terra. Ela é uma energia corrente e não decorrente como muitos pensam. Essa energia continuará se manisfestando eternamente independente do planeta em que ela esteja atuando. Na Terra ela se manifesta em todos os sentidos e em todo espaço, o homem é apenas e tão somente mais "um" de seus agentes.

Também é vã a tentativa de algumas sociedades do terceiro mundo, principalmente no Brasil, quererem determinar se a Arte é ou não é importante, isso é uma tolice inqualificável, ela está acima da vontade dos homens pela singela razão de ser parte do Divino, bem, desde que o ser humano admita que o Divino esteja acima dele....!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Medéia

Medéia. Mármore do Rio Grande do Sul..Outubro 2010

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Curriculo

Ricardo Kersting nasceu em Porto Alegre RS. Em 26 de março de 1953.
Começou as atividades artísticas ainda adolescente, com esculturas em madeira e pequenas peças de argila queimadas nos fornos de pão. Em 1978 iniciou estudos de artes no Atelier livre onde ficou até 1983. Após realizou cursos de desenho e desenho da figura humana. Com o mestre Jorge Kersting estudou fundição em bronze. Autoditadata em gravação sobre metais e incrustação (Inlay) artística. Durante o início de seu aprendizado, trabalhou voluntariamente em pedreiras, onde aprendeu o corte de diversos tipos de rocha.

Principais exposições individuais.

1982-Galeria dos Açorianos Porto Alegre RS.
1983-Galeria dos Açorianos Porto Alegre RS.
1985-Galeria Caras e Cores Porto Alegre RS.
1988-Espaço Cultural Tribunal de Justiça Porto Alegre RS.
1990-Espaço Cultural Tribunal de Justiça Porto Alegre RS.
1992-Espaço Cultural Fernando A. M. Beck – Florianópolis SC.
1993-Janelas Brasileiras – Acap- Florianópolis SC.
1996- Escritório de Arte de Beatriz Telles Ferreira-Florianópolis SC.
1996- Bicho do Lixo Galeria do Artista Casa da Alfândega - Florianópolis SC.
1999- Objeto Mulher – Espaço Mercosul – Florianópolis SC.
1999- Espaço Embratel – Florianópolis SC.
2002- Tabas. Galeria de Artes Antônio Klinger Filho. Porto Alegre RS.
2006- Grito dos Aflitos. Espaço Cultural TRT Porto Alegre RS.
2010- Mulheres Aladas. Gravura Galeria de arte Porto Alegre RS.



Principais exposições coletivas.

1981- Agência do Banco do Estado do Rio Grande do Sul em Nova Iorque – USA
1983- Galeria de Artes Cambona. Porto Alegre RS.
1984- Galeria de Artes Juan. Porto Alegre RS.
1985- Coletiva da Associação dos Escultores. No Atelier Livre. Porto Alegre RS.
1985- Coletiva na Galeria do Museu do Trabalho. Porto Alegre RS.
1990- Coletiva da EDAPHIS Galeria de Artes da Cef em Nova Hamburgo RS.
1990- Coletiva do Salão de Artes da Cidade de Novo Hamburgo RS.
1991- Coletiva de esculturas na Galeria de Artes da Cef Porto Alegre RS.
1997-Esboços da Vida. Galeria do Artista. Casa da Alfândega. Florianópolis SC.
1998- Mares e Oceanos. Galeria do Artista. Casa da Alfândega. Florianópolis SC.
2001- Espaço Cultural do Grêmio Náutico União. Porto Alegre RS.
2002- Espaço Cultural do Grêmio Náutico União. Porto Alegre RS.
2003- Espaço Cultural do GBOEX – 90 anos. Porto Alegre RS.
2003 – “Tentações” Coletiva de Esculturas. Galeria de Artes Casa Arte Canoas. Canoas RS.
2004- Espaço Cultural GBOEX. Porto Alegre RS.
2004- Diálogos com a Sociedade. Espaço Cultural do Ministério Público. Porto Alegre RS.

Premiações

1983- Troféu Cidade Norte. Porto Alegre RS.
1984- Troféu Lojista do Sul. Porto Alegre RS.
1990- Salão Cidade Novo Hamburgo. Menção Honrosa categoria Escultura. Obra: “A cadeira negra.”.
1992- Destaque em Escultura. Florianópolis SC.
1997- Troféu Festival de Dança de Joinville. Joinville SC.
2003- Salão Cidade de Canoas. Primeiro lugar categoria Escultura. Canoas RS. Obra: “Trajetória Humana”

Esculturas Públicas.

1998- Totem do Sol
1998- Soláris
1999- Pescador Carijó
2000- Mulher ao Sol
2000- Busto de Santo Inácio de Loyola
2001- Família de pescadores na lida.
2001- Porto dos corais.
2003- Totem dos signos.
2004- Via di Firenzi
Todas as obras estão localizadas na cidade de Florianópolis SC.

Outras atividades correlatas.

1986- Salões da Câmara e Jovem artista Porto Alegre RS.
1989- Congresso Nacional de Escultores. Museu de Artes do RGS. Porto Alegre RS.
1990- Encontro de Artistas do Mercosul. Montevidéu Uruguai.
Participações em diversos eventos e 51 exposições coletivas no RS e SC.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Poliedros Irregulares-Mármore 2010

"Convergência"

                                                                       "Caos"


                                                                      "Pirâmide"
                                                                            
                                                                  "Sentido"

Vênus Azul

Petróglifo sobre fragmento de Carrara  13" - 2010
R$  3.000,00